O lobo bonachão

Dizem que os lobos são ferozes. Pode ser que isso seja verdade. Mas Lobito era o animal mais pacífico e manso da Criação. Passava os dias brincando com os seus companheiros de bosque. Mas, por causa da terrível fama que os lobos tem, só a sua presença já era suficiente para afugentar todo e qualquer possível candidato à sua amizade.

Lobito tinha caído em desgraça em sua própria alcateia e o chefe o tinha expulsado, porque ele não queria participardas caçadas.

– Que vou fazer agora? perguntava-se Lobito, triste e abandonado no meio do bosque.

Lágrimas abundantes escorreram pelas suas mandíbulas, durante muito tempo. O simpático castor havia presenciado a expulsão desse bom lobo e sabia como ele deveria estar se sentindo.

– Não se preocupe, Lobito, disse, saindo de seu esconderijo. Eu e meus amigos vamos cuidar de você. Olhe, tive uma ideia! Você poderia ser nosso guarda-costas, encarregado de nossa segurança. Sua presença já é o bastante para afugentar nossos piores inimigos. Que acha?

– Oh, sim, sim! É claro que sim! exclamou Lobito, entusiasmadíssimo.

Os indefesos animaizinhos do bosque ficaram muito contentes por poderem contar com um protetor tão bom. E o Lobito, por sua vez, ficou muito feliz por sentir-se útil e por ter muitos amigos no bosque.

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.