O algo que importa

Todo amanhecer, dona coelha reunia seus filhos e dizia: “Esse é o dia mais importante das suas vidas. Façam ‘algo que importa’, hoje.” Eles, habituados a ouvirem o refrão, não se apercebiam do sentido da mensagem.

Dona coelha, então, resolveu questionar seus filhos:

“Todos os dias chamo a atenção de vocês para a importância do dia que nasce e nunca me perguntam o porquê. Então, eu lhes digo: Esse é o dia mais importante porque estamos vivos e é nesse dia precisamente que podemos realizar ‘algo que importa’.

Nem ontem, que já passou, nem amanhã, que ainda não existe. Mas, hoje. Pensem bem, logo mais quero saber o ‘algo que importa’ que fizeram.”

Ao final do dia, todos reunidos, dona coelha quis ouvir seus filhos. Disse o primeiro:

– Bom, sabe aquele rio que temos que atravessar, em condições precárias, arriscando nossas vidas? Pois é. Convenci meus amigos que deveríamos construir uma ponte.

– Muito bem, se você os convenceu, o sonho vai se realizar.

Diz o outro:

– Não sei se foi “algo que importa”, mas dona coruja estava com o pé quebrado e, assim, sem condições de levar sua filhinha à escola, coloquei-a em minhas costas e chegamos a tempo.

– Certamente,  você fez “algo que importa”, pois além de prestar um serviço, fez a mãe coruja feliz.

O terceiro, diante do relato dos anteriores, ficou deprimido, pois reconhecia não ter feito nada que importa.

– Se você pesquisar bem, disse dona coelha, possivelmente vai descobrir ter feito “algo que importa”, mas o mais importante foi ter tomado consciência e confessado sua aparente omissão. Isso é o que mais importa para você, hoje.

Francisco Gomes de Matos
Livro esgotado: Visão e Parábolas: Compreendendo a cultura das organizações

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.