Gina

Gina era uma cadelinha muito irrequieta. Sua curiosidade parecia insaciável. Olhava para tudo e tornava a olhar, cheia de excitação, enquanto agitava as orelhas e abanava a cauda. Ficava particularmente agitada diante do voo e as acrobacias das borboletas, moscas e pássaros.

Um dia, Gina participou de uma excursão com seus donos. Já em pleno campo, e depois de comer sobre uma relva fofa, Gina começou a saltar, correr e perseguir várias borboletas que esvoaçavam por ali. Correu despreocupadamente de um lado para o outro e, quando se deu conta, estava perdida. Que desgraça! Faminta e cansada, tinha de passar as noites ao relento.  Muitas vezes ainda teve de conseguir encontrar caixotes de lixo onde podia farejar!

Certo dia, favorecida pela sorte, encontrou novos donos, um casal muito simpático e compreensivo. Gina, encantadora como era, rapidamente conquistou o coração dos dois.

No entanto, nossa cadelinha continua a ser tão despreocupada e irrequieta como antes. Sempre que vai passear, volta às longas caminhadas, perseguindo moscas, pássaroas e borboletas.

Ah! Qualquer dia perde-se de novo, porque Gina é como muitos seres humanos: não se corrige nunca e é capaz de tropeçar duas vezes na mesma pedra! Que pena!

Será que você, pelo menos, aprendeu a lição, amigo?

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.