Dois Lados

Os mantos coloridos dos dervixes, desenhados com propósito de ensino, e às vezes imitados como mera decoração, foram introduzidos na Espanha, na Idade Média, da seguinte forma: um rei cristão, que gostava de desfiles pomposos e também se orgulhava de seu saber filosófico, pediu a um sufi, conhecido como El-Agarin, que o iniciasse em sua ciência.

– Nós lhe oferecemos observação e reflexão – disse-lhe El-Agarin. – Mas antes deve aprender toda a extensão do seu significado.

– Já sabemos como prestar atenção. Temos estudado bastante, através de nossa tradição, todos os passos preliminares para chegar ao conhecimento – disse o rei.

– Muito bem – respondeu El-Agarin. – Durante o desfile de amanhã daremos uma demonstração de nosso ensinamento para Vossa Majestade.

Fizeram-se os preparativos, e no dia seguinte os dervixes do ‘ribat’ (centro de ensaio) de El-Agarin desfilaram pelas ruas estreitas da cidade andaluza. O rei e seus cortesãos estavam postados em ambos os lados do trajeto: os nobres à direita, os cavaleiros à esquerda.

Quando a procissão terminou El-Agarin se dirigiu ao rei e disse:

– Por favor, majestade, pergunte aos fidalgos do lado esquerdo de que cor era o manto dos dervixes.

Todos os cavaleiros juraram pelas escrituras e por sua honra que as vestimentas eram azuis.

O rei e os nobres se mostraram surpresos e confusos. Aquela não era, de modo algum, a cor que tinham visto.

– Todos nós vimos perfeitamente que usavam mantos castanhos – disse o rei. – E entre nós há homens muito respeitados, homens de grande santidade e fé.

O rei ordenou então que todos os cavaleiros se preparassem para ser castigados e degradados. Os que tinham visto os mantos castanhos foram separados: seriam premiados. O processo durou algum tempo, findo o qual o rei disse a El-Agarin:

– Que feitiçaria você fez, homem malvado? Que atos do demônio são os seus que podem fazer com que os fidalgos mais honrados do cristianismo neguem a verdade, abandonem suas esperanças de redenção e traiam nossa confiança, ficando incapacitados para a batalha?

– Na metade visível do lado em que estávamos – disse o sufi – os mantos eram de cor castanha. Na outra metade eram de cor azul. Sem preparação, sua predisposição o induz a enganar-se a si mesmo e a interpretar-nos mal. Como podemos ensinar a alguém nestas circunstâncias?

Do livro: Histórias da Tradição Sufi – Editora Dervish

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.