Caixa da raiva: um recurso contra a ira das crianças

caixa da raiva surgiu de uma ideia da psicóloga espanhola Marina Martín para ensinar as crianças a controlar a raiva e a ira. Essa ferramenta tem sido recebida como um recursos para ajudarmos as crianças a lidar com suas emoções e sentimentos. A caixa da raiva nasceu da leitura do conto “Vaya Rabieta” (“Que birra”), de Mireille d´Allancé. Saiba mais sobre o livro:

O conto Vaya Rabieta

Na narrativa, Roberto é o protagonista. Ele vive um mau dia: os país zangaram com ele, não gostava da comida e desobedeceu a seus país. Logo, você pode imaginar que tudo acabou com o menino cheio de raiva. No conto, a raiva é ilustrada como um grande monstro que sai do pequeno corpo de Roberto. Esse monstro domina o menino e pode fazer o que quiser com ele, sem qualquer controle.

vaya rabieta Mireille d Allance

É por isso que o grande monstro destrói tudo o que encontra: desfez a cama, jogou longe o abajur, os livros, os brinquedos. Depois de se dar conta do que aconteceu, o menino tenta reparar tudo o que a raiva havia destruído. Enquanto tratava de arrumar o quarto e colocar cada coisa em seu lugar, a raiva foi se tornando cada vez menor. Ficou tão pequena que coube em uma caixa.

A caixa da raiva na prática

Partindo do conto a psicóloga sugere que a cada vez que a criança demonstre raiva, seja estimulada a desenhar em um papel o que está sentido. Essa expressão  é a maneira sugerida para colocar pra fora tudo o que a atinge no momento. Certamente, os desenhos terão traços fortes, marcados pela impulsividade e pelo desequilíbrio vivenciado quando essas emoções dominam o ser. Pouco a pouco os traços vão se tornando mais claros, a criança muda o foco, sua concentração e é aí que ela se dá conta de que está se acalmando.

caixa da raiva 01
Imagem do Pinterest.

Após terminar o desenho, explique à criança que deve amassá-lo e coloca-lo em uma caixa fechada, para que sua raiva não possa sair.

caixa da raiva 02
Imagem do Pinterest.

A caixa da raiva pode ter várias formas. Uma dica útil é usar essa ferramenta num espaço pré determinado, um “cantinho da calma”. Esses dois recursos podem ser muito eficientes para ensinar a criança a identificar e regular as emoções.

 

você pode gostar também

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.